Notícias

AUMENTO DO DESPACHO DE USINAS HIDRELÉTRICAS

COMITÊ DE MONITORAMENTO DO SETOR ELÉTRICO (CMSE) AUTORIZOU O AUMENTO DO DESPACHO DE USINAS HIDRELÉTRICAS

Após reunião, CMSE autoriza aumento de geração hidrelétrica

Para garantir o abastecimento de energia ao Sistema Interligado, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) autorizou o aumento do despacho de usinas hidrelétricas. Por meio de nota, afirmou que há uma piora relevante da situação hídrica no País. No dia 24 de agosto, foi realizada uma reunião extraordinária em que o CMSE aprovou flexibilizações temporárias da regra de operação do rio São Francisco, de forma a garantir mais geração e reduzir a degradação do armazenamento dos reservatórios das usinas do Sudeste e Sul do País.

Na mesma reunião, foi lançada a proposta do Programa de Incentivo à Redução Voluntária do Consumo de Energia Elétrica para os clientes de distribuidoras, em prática desde 01 de setembro. O programa prevê redução na tarifa aos consumidores que economizarem de 10% a 20%.

Uma medida semelhante já havia sido aplicada em 2001. Na ocasião, foi estabelecida uma meta de economia de 20% e os consumidores eram beneficiados com desconto na conta de luz. O programa representa um avanço para o gerenciamento da crise e complementa o programa de redução voluntária direcionado a grandes consumidores de energia. As diretrizes foram publicadas pelo governo em meados de agosto.

A nota divulgada pelo Ministério de Minas e Energia (MME) informa que foram debatidos aspectos das flexibilizações operativas já implantadas relacionados a níveis mínimos de reserva das UHEs (?), culminando com a indicação do CMSE ao uso dos estoques hídricos armazenados.

O grupo reconheceu que “predomina a degradação dos cenários observados e prospecções futuras, com relevante piora, fazendo-se imprescindível a adoção de todas as medidas em andamento e propostas, destacadamente a alocação dos recursos energéticos adicionais e flexibilizações de restrições hidráulicas”.

A Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (Creg) avaliou o armazenamento em reunião no final de agosto. A Creg também analisou a proposta de redução para consumidores das distribuidoras.

Voltar às Notícias