Relatório Curva Futura - Maio 2022

RelatórioCurva Futura

Maio 2022

Relatório Curva Futura

A Curva Futura busca representar a expectativa de preços em uma determinada data de cotação para um
dado fornecimento futuro de energia. Cada curva representa um produto específico, podendo variar em tipo
de fonte de energia, período de maturidade e submercado de entrega. Em nosso caso, consideramos o
submercado SE/CO pela maior liquidez. A fonte e o período são descritos nos gráficos abaixo.

ENERGIA CONVENCIONAL

As tabelas abaixo mostram os preços consolidados de abril dos produtos anuais de 2023, 2024, 2025 e 2026 para a Energia Convencional e Incentivada de 50%, respectivamente. São analisadas a variação anual e mensal destes produtos, com base nos preços negociados no último dia do mês. Além deles, foram incluídos os produtos de curto prazo da Energia Convencional, os quais mostram a cotação do produto no último dia de abril, juntamente com suas variações mensais.

Curto Prazo

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
Mai/22 59 0,8% -
Jul-Set/22 113 -14,9% -
Jul-Dez/22 125 -14,0% -

Longo Prazo

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
2023 185 -12% -11%
2024 181 -4% 3%
2025 166 -2% 2%
2026 157 -3% -2%

ENERGIA INCENTIVADA 50%

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
2023 227 -11% -9%
2024 220 -4% 4%
2025 202 -1% 3%
2026 189 -3% -3%

1 Valores cotados em abril de 2022.
2 Em relação a março de 2022.
3 Em relação a maio de 2021.

1

O preço de energia para os produtos de curto prazo seguiu a tendência de queda já observada nos
últimos meses. Passado o período úmido, a dinâmica de curto prazo deverá ser impactada,
principalmente, pela dinâmica de deplecionamento dos reservatórios, qualidade de chuvas na região sul
e expectativa de consumo em função da economia.

2

Preços para longo prazo também apresentaram uma queda acentuada. Em abril houve a definição da
CPAMP (Comissão Permanente para Análise de Metodologia e Programas Computacionais do Setor
Elétrico) quanto às mudanças metodológicas para o cálculo do PLD a partir de 2023. Além disso, houve
a divulgação da redução da expectativa de consumo para o horizonte 2022-2026 (Revisão Ordinária da
Carga feita por ONS, CCEE e EPE). Com isso, observou-se um aumento de liquidez do produto com
realização em 2023, com viés de queda. Com a queda dos produtos 2023, os demais anos seguiram a
mesma tendência, mas em menor intensidade.

3

Por fim, algumas mudanças na esfera regulatória merecem destaque. Com a decisão pelo fim da geração
fora da ordem de mérito pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), o Encargo de Serviço
do Sistema (ESS) deverá apresentar uma queda acentuada para os próximos meses. O encargo, que
pressionou os consumidores livres no último ano, está agora impactando de forma significativa os
consumidores regulados, com reajustes tarifários superiores a 20% em diversas distribuidoras.

Nos gráficos abaixo são mostradas as Curvas Futuras de Energia Convencional e Energia Incentivada com 50%. Para os dados
mensais foram utilizadas as médias dos dados coletados, o que não capta as oscilações diárias.

Energia Convencional

Energia Incentivada 50%