Relatório Curva Futura - Janeiro 2022

RelatórioCurva Futura

Janeiro 2022

Relatório Curva Futura

A Curva Futura busca representar a expectativa de preços em uma determinada data de cotação para um dado fornecimento futuro de energia. Cada curva representa um produto específico, podendo variar em tipo de fonte de energia, período de maturidade e submercado de entrega. Em nosso caso, consideramos o submercado SE/CO pela maior liquidez. A fonte e o período são descritos nos gráficos abaixo.

Energia Convencional

As tabelas abaixo mostram os preços consolidados de novembro dos produtos anuais de 2022, 2023, 2024, 2025 e 2026 para a Energia Convencional e Incentivada de 50%, respectivamente. São analisadas a variação anual e mensal destes produtos, com base nos preços negociados no último dia do mês. Além deles, foram incluídos os produtos de curto prazo da Energia Convencional, os quais mostram a cotação do produto no último dia de novembro, juntamente com suas variações mensais.

Curto Prazo

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
Jan/22 92 -50% -
Abr-Jun/22 148 -19% -
Jul-Dez/22 220 -17% -

Longo Prazo

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
2022 185 -20% -6%
2023 200 -4% 11%
2024 175 -1% 11%
2025 164 -1% 6%
2026 160 0% -

Energia Incentivada 50%

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
2022 237 -16% 3%
2023 245 -4% 23%
2024 212 0% 12%
2025 199 -1% 6%
2026 195 0% -

1 Valores cotados em dezembro de 2021. 2 Em relação a novembro de 2021. 3 Em relação a janeiro de 2021.

1

Com a continuidade das chuvas sobre as principais bacias do Sistema Interligado Nacional (SIN), os preços de curto prazo seguiram a tendência de queda já observada nos últimos meses. Essa tendência foi intensificada nas últimas semanas em decorrência da melhora da Energia Natural Afluente (ENA) na região Sudeste e Norte, além da expectativa dos agentes frente ao cenário de chuvas durante o verão. Vale salientar ainda que dado o cenário de preços em patamares mais baixos, e em decorrência das mudanças operativas no segmento de transmissão, existe a possibilidade que os preços de curto prazo apresentem um descolamento nos próximos meses para os submercados Norte e Nordeste.

2

Já para os produtos de longo prazo, influenciados pela dinâmica existente no curto prazo, os preços apresentaram uma tendência de queda ao longo no último mês. Esses produtos, com destaque para o 2023, poderão exibir alta volatilidade nas próximas semanas em virtude dos resultados da Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico (CPAMP). A CPAMP tem realizados inúmeros estudos para verificar a aderência dos modelos a realidade operativa, o que poderá contribuir para uma mudança no grau de aversão ao risco das metodologias utilizadas nos programas computacionais e um consequente aumento do patamar dos preços.

3

Por fim, vale destacar que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou os valores dos limites do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para o ano de 2022. O novo PLD mínimo é de R$ 55,70/MWh, o máximo estrutural é de R$ 640,50/MWh e o máximo horário é R$ 1.314,02/MWh. As mudanças, muito influenciadas por correções à inflação, conduzem um aumento de aproximadamente 10% sobre os valores do ano de 2021.

Nos gráficos abaixo são mostradas as Curvas Futuras de Energia Convencional e Energia Incentivada com 50%. Para os dados mensais foram utilizadas as médias dos dados coletados, o que não capta as oscilações diárias.

Energia Convencional

Energia Incentivada 50%