Relatório Curva Futura - Fevereiro 2021

RelatórioCurva Futura

Fevereiro 2021

Relatório Curva Futura


A Curva Futura busca representar a expectativa de preços em uma determinada data de cotação para um dado fornecimento futuro de energia. Cada curva representa um produto específico, podendo variar em tipo de fonte de energia, período de maturidade e submercado de entrega. Em nosso caso, consideramos o submercado SE/CO pela maior liquidez. A fonte e o período são descritos nos gráficos abaixo.

Energia Convencional

As tabelas abaixo mostram os preços consolidados de janeiro dos produtos anuais de 2021, 2022, 2023 e 2024 para a Energia Convencional e Incentivada de 50%, respectivamente. São analisadas a variação anual e mensal destes produtos, com base na média dos valores negociados durante o mês. Além deles, foram incluídos os produtos de curto prazo da Energia Convencional, os quais mostram a cotação do produto no último dia de dezembro, juntamente com suas variações mensais.

Curto Prazo

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
Fev/21 189 14,09% -
Abr-Jun/21 180 14,63% -
Jul-Dez/21 242 12,44% -

Longo Prazo

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
2021 231 22% 17%
2022 194 5% 6%
2023 167 2% 0%
2024 158 3% -1%
2025 149 2% -1%

Energia Incentivada 50%

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
2021 288 19% 17%
2022 238 3% 12%
2023 206 4% 7%
2024 192 5% 6%
2025 181 5% 5%

1 Valores cotados em janeiro de 2021. 2 Em relação a dezembro de 2020. 3 Em relação a fevereiro de 2021.

1

Os produtos de curto prazo seguiram uma tendência de alta quando verificado suas médias mensais. No entanto, Fevereiro/21 iniciou uma tendência de queda nas últimas semanas, dada a expectativa de melhora dos regimes de precipitações durante o referido mês. Vale destacar que os patamares de preços negociados não estão refletindo a atual conjuntura energética, com um alto despacho térmico fora da ordem de mérito. Esse cenário acaba refletindo no aumento dos Encargos de Serviço e Sistema (ESS).

2

Outro tema que contribui para o despacho fora da ordem de mérito e consequentemente ao aumento dos encargos, são as discussões atreladas a alteração da vazão no Rio Xingu, no norte do país, afetando de maneira sem precedentes a geração elétrica da usina de Belo Monte. O tema, de grande relevância nacional, está sendo debatido entre diversas entidades do setor elétrico e ambientais, e contribui ainda mais com o acionamento de usinas térmicas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE)

3

Já nos produtos de longo prazo, os preços apresentaram um ligeiro aumento no último mês. Essa variação foi influenciada pela possibilidade de um horizonte de longo prazo pior com relação a hidrologia, dado a aproximação do período seco e as poucas chuvas realizadas nos últimos meses. Salienta-se ainda que os produtos referentes ao ano de 2021, sendo agora caracterizados como de curto prazo, são passiveis de alta volatilidade em virtude do atual cenário.

4

No âmbito regulatório, o mês de janeiro foi caracterizado por significativas mudanças. Com a aprovação da então MP 998 na última quinta-feira, medida essa que reduz as tarifas do Norte, coloca prazos para os incentivos do setor e regulamenta a usina nuclear de Angra III. A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) deverá aprovar nas próximas semanas os valores referentes a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), parcela essa que é impactada pela medida em questão.

Nos gráficos abaixo são mostradas as Curvas Futuras de Energia Convencional e Energia Incentivada com 50%. Para os dados mensais foram utilizadas as médias dos dados coletados, o que não capta as oscilações diárias.

Energia Convencional

Energia Incentivada 50%