Relatório Curva Futura - Abril 2021

RelatórioCurva Futura

Abril 2021

Relatório Curva Futura

A Curva Futura busca representar a expectativa de preços em uma determinada data de cotação para um dado fornecimento futuro de energia. Cada curva representa um produto específico, podendo variar em tipo de fonte de energia, período de maturidade e submercado de entrega. Em nosso caso, consideramos o submercado SE/CO pela maior liquidez. A fonte e o período são descritos nos gráficos abaixo.

ENERGIA CONVENCIONAL

As tabelas abaixo mostram os preços consolidados de março dos produtos anuais de 2022, 2023, 2024, 2025 e 2026 para a Energia Convencional e Incentivada de 50%, respectivamente. São analisadas a variação anual e mensal destes produtos, com base na média dos valores negociados durante o mês. Além deles, foram incluídos os produtos de curto prazo da Energia Convencional, os quais mostram a cotação do produto no último dia de dezembro, juntamente com suas variações mensais.

Curto Prazo

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
Abr/21 149 25,18% -
Jul-Set/21 241 14,43% -
Jul-Dez/21 240 9,47% -

Longo Prazo

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
2022 190 -2% 19%
2023 168 -1% 8%
2024 159 2% 6%
2025 150 1% -2%
2026 145 4% -

ENERGIA INCENTIVADA 50%

Produto Preço Médio [R$/MWh]¹ Variação Mensal² Variação Anual³
2022 243 0% 22%
2023 209 0% 11%
2024 190 -2% 7%
2025 183 -1% 4%
2026 176 1% -

1 Valores cotados em março de 2021.
2 Em relação a fevereiro de 2021.
3 Em relação a abril de 2020.

1

• Após o fim de um dos piores períodos úmidos do histórico do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), marcado por baixos níveis de precipitação e uma tímida recuperação dos reservatórios, os preços dos produtos de curto prazo iniciaram uma tendência de alta ao longo deste mês. Esse comportamento, muito observado nos produtos de Abr/21 e Jul-Set/21, remetem a uma característica que deverá marcar o cenário de preços no segundo semestre, a volatilidade. Essa nova dinâmica para os próximos meses, contribuirá para que os produtos de curto prazo sofram um alta variação de preços em pequenos intervalos de tempo.

2

• Já para os produtos de longo prazo, sabendo que os efeitos do atual cenário hidrológico são menos impactantes, os preços seguiram uma tendência de estabilidade no último mês, exibindo baixas variações dos valores negociados. O comportamento destes produtos, está muito atrelado a expectativa de oferta e demanda das operações no mercado de energia. É importante salientar ainda que, com a aproximação da realização desses produtos, os níveis de volatilidade tendem aumentarem, apresentando uma maior correlação e se aproximando do comportamento dos produtos de curto prazo.

3

• Vale lembrar que, dado o atual cenário hidrológico, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) continua acionando usinas térmicas fora da ordem de mérito na operação do sistema. Esse processo, não contribui em possíveis alterações nos patamares dos preços da energia, mas afeta diretamente o Encargo de Serviço do Sistema (ESS) e as tarifas dos consumidores no ambiente livre e regulado.

4

• Em virtude do cenário de geração térmica fora da ordem de mérito, o CMSE autorizou a realização de estudos em busca de uma melhor representação da aversão a risco do operador nos modelos de operação, o que seria uma mudança para ocorrer a partir de 2022. O tema ainda está em estudo, mas se confirmada tal mudança, poderá afetar a curva de mercado para 2022 em diante.

Nos gráficos abaixo são mostradas as Curvas Futuras de Energia Convencional e Energia Incentivada com 50%. Para os dados mensais foram utilizadas as médias dos dados coletados, o que não capta as oscilações diárias.

Energia Convencional

Energia Incentivada 50%