Boletim Mensal - Novembro 2020

BoletimMensal

Novembro 2020

Boletim Mensal

Reservatórios

Embora o mês de outubro/20 tenha sido marcado por alguns eventos de precipitação, o cenário hidrológico brasileiro continua seco em grande parte dos reservatórios do país. Essa condição, somada à retomada do consumo de energia, contribui para que os reservatórios do Sudeste, Sul e Norte, apresentem índices inferiores a 30% de sua capacidade.
Tipicamente, essa condição de poucas chuvas durante o mês de outubro é caracterizada como uma situação normal no período de transição (seco para úmido). No entanto, a variação espacial das chuvas dificulta a umidificação do solo e, consequentemente, a recuperação hidrológica dos reservatórios, bem como a expectativa de dois meses atrás está sendo frustrada.
É importante salientar que iniciamos o período seco de 2020 com indicativo de melhores níveis de reservatórios dos últimos anos, mas essa reserva foi consumida ainda em 2020. Com isso, partiremos para mais um ano dependentes do próximo ciclo de chuvas, o que deve se refletir volatilidade, especialmente até a consolidação do período úmido.

1

Trajetória Prevista de Armazenamento novembro/2020 a abril/2021 – Limite Inferior e Superior

Gráfico 1

2

Nível dos reservatórios por subsistema no dia 16/11/2020 e 16/10/2019

Gráfico 2

Carga

No Gráfico 3 é possível observar a projeção de carga para o ano de 2020, comparando-a aos últimos dois anos e com o que de fato foi realizado.
O consumo de energia elétrica nos dois últimos meses, como pode ser observado no Gráfico 3, seguiu uma expressiva tendência de alta, influenciado especialmente pelo incremento da temperatura em todo território nacional. Para novembro/20 espera-se que as temperaturas não cheguem aos patamares apresentados anteriormente, colaborando para uma redução da tendência observada até então. Esse fator é fundamental para reforçar que a subida apresentada em setembro/20 e outubro/20 teve forte influência da temperatura. Contudo, é possível inferir que a economia está em processo de retomada e tem a sua parcela de contribuição no consumo observado.

No dia 28 de julho a Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou a 2a Revisão Quadrimestral de Carga para o ciclo 2020-2024, com o intuito de adequar as projeções de carga ao efeito da pandemia. Os valores aprovados podem ser observados nos Gráficos 3 e 4. A próxima Previsão de Carga, para o ciclo 2021-2025, ocorrerá em dezembro/20 e a expectativa é que ocorra correções no intuito de aumentar as projeções dos próximos anos, caso não ocorra um segundo pico da pandemia tão impactante quanto o primeiro.

3

Evolução do consumo de energia elétrica do SIN previsto para 2020.

Gráfico 3 | *Expectativa do Operador Nacional do Sistema.

4

Meteorologia

O mês de outubro/20 foi um mês típico de transição, com padrão seco na primeira quinzena e com evolução das chuvas na segunda. As chuvas continuaram na primeira quinzena de novembro/20, contudo, a variação espacial foi um fator impactante, ora chovendo no Sudeste, ora chovendo no Nordeste e Norte. Devido a influência de La Niña a Região Sul continua em situação crítica, pois o fenômeno acaba impedindo a chegada de frentes frias sobre a região. Além disso, influencia nas chuvas sobre a Região Sudeste e atrasa a recuperação dos reservatórios na região. A Região que se beneficia com isso é a Nordeste e Norte, locais onde os mapas apresentam maiores precipitações.
Para o submercado Sudeste/Centro-Oeste é esperado precipitações no Norte de São Paulo, contudo, sem volumes expressivos. Ainda é esperado que as chuvas ganhem intensidade em dezembro/20 e janeiro/21.
Para o submercado Sul a situação deve continuar crítica e as chuvas de dezembro/20 e janeiro/21 não devem reverter a situação.
Para os submercados Nordeste e Norte é esperado que as chuvas continuem nos próximos dias e persistam em dezembro/20 e janeiro/21, ajudando na recuperação gradual dos reservatórios das regiões.

5

Preços

O valor do PLD médio mensal de outubro/20 foi 288,64 R$/MWh para quase todos os submercados, com exceção do submercado Nordeste que apresentou um PLD médio de 182,12 R$/MWh.
Os preços de novembro/20 apresentaram subida, quando comparado com outubro/20 e a expectativa de que a média mensal seja valorada próximo aos 490,73 R$/MWh para os submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte. Já para o submercado Nordeste, a expectativa é que o preço médio seja valorado próximo a 220,00 R$/MWh.
Vale reforçar que a elevação dos preços no decorrer de novembro/20 é reflexo direto da falta de chuvas para umidificação do solo e, consequentemente, ajudar na recuperação dos reservatórios.

6

Evolução PLD semanal e previsão de fechamento para novembro/2020

Gráfico 5 | Fonte: Elaboração Exata Energia

7

Histórico PLD 2017, PLD 2018, PLD 2019 e trajetória de preços de 2020

Fonte: Elaboração Exata Energia

Notícias

PLD segue aumentando em quase todos os submercados

Com exceção do submercado Nordeste, onde foi observada uma redução de 19% no preço médio (de R$ 185,11/MWh para R$ 150,60/MWh), os demais submercados apresentaram um aumento de 17% no preço da energia, passando de R$ 317,03 para R$ 370,77/MWh. Segundo a CCEE, a realização pessimista de afluências durante todo o mês de outubro, além da retomada de carga, contribuiu para que os preços alcançassem tais patamares.

Para o ONS, as chuvas no mês de outubro foram as piores dos últimos anos

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o mês de outubro foi caracterizado com o pior dos últimos 90 anos, deixando os reservatórios em situações críticas. Segundo o diretor de planejamento da instituição, a situação não deverá mudar consideravelmente nas próximas semanas, destacando a necessidade de eventos climáticos para que os reservatórios consigam boas recuperações.

Segundo a CCEE, consumo de energia elétrica aumenta 4,8% em outubro

A primeira quinzena do último mês confirmou a tendência de crescimento no consumo de energia elétrica em todo o país, registrando um aumento de 4,8% em relação ao mesmo período de 2019. O valor representa a maior variação positiva observada até o momento neste ano, com uma alta de 3,4% no ACR e 8,2% no ACL.

TR Soluções afirma que crédito tributário pode reduzir até 4,2% tarifa do consumidor A4

Em evento na última semana, a empresa afirmou que a devolução do crédito tributário decorrente da retirada do ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS pode levar a uma redução média de 4,2% na tarifa dos consumidores A4 para o próximo ano. A discussão do tema ainda é objeto de análise pela ANEEL.

Perspectivas de Média Prazo

Reservatórios

Devido a dispersão das áreas de chuva desde o começo do período úmido, os reservatórios não conseguem iniciar um processo de
recuperação como apontado meses atrás. Tipicamente os reservatórios iniciam recuperação na segunda quinzena de novembro, o que ainda não ocorreu. Esse fator pode influenciar a recuperação no próximo ano e impactar os preços.

Período Úmido

O cenário meteorológico aponta para um período de La Niña fraca até o final de 2020, o que ainda implica que o período úmido ocorra dentro da normalidade do cenário climatológico, deixando o problema atrelado à condição do solo.

Carga

A elevação apresentada nos últimos dois meses foi acima do esperado e acompanhou os efeitos da temperatura, muito acima da média
para o período. Há um bom indicativo de retomada do consumo para níveis acima de 2019, o que pode ser um indício da retomada estruturada da economia e, consequente, ajuste positivo nas projeções a partir do próximo ano.