Boletim Mensal - Março 2021

BoletimMensal

Março 2021

Boletim Mensal

Reservatórios

O mês de fevereiro foi caracterizado por um padrão climático típico de verão, com volumes de chuvas concentrados sobre o Centro e o Norte do país. Isso propiciou uma recuperação contínua do nível dos reservatórios no Norte, principalmente. Já o Sudeste, Nordeste e Norte apresentaram baixos volumes de chuvas para o período e, apesar da recuperação dos reservatórios da região Sudeste, estes continuam entre os níveis mais baixos do histórico. Com isso, caminhamos para um período úmido abaixo da média podendo se configurar na pior hidrologia do SIN dos últimos 90 anos.
Para fechamento do período úmido, embora os modelos apontem a atuação de uma frente fria sob a região Sul, não se esperam volumes consideráveis de chuvas nesta região. Sudeste e Nordeste também não devem apresentar grandes volumes de chuvas, o que dificulta a recuperação dos reservatórios nestes submercados. Já para o Norte, a intensificação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), deve propiciar chuvas regulares, beneficiando as usinas de Belo Monte e Tucurui, mantendo um padrão ainda favorável na região.

1

Trajetória Prevista de Armazenamento 
março/2021 a julho/2021 – Limite Inferior e Superior

Gráfico 1

2

Nível dos reservatórios por subsistema no dia 16/03/2021 e 16/03/2020

Gráfico 2

Carga

No Gráfico 3 é possível observar a projeção de carga para todo o horizonte de 2021, além da expectativa para o mês de abril.
O mês de fevereiro seguiu a tendência de alta já observada nos meses anteriores, sendo influenciada pela retomada das atividades econômicas no país. Esse comportamento é justificado pelo aumento de consumo no ACL, tendo como característica, uma forte representatividade do consumo industrial. Já durante o mês de março, o consumo seguiu uma ligeira tendência de queda quando comparado ao mês anterior, muito em função da oscilação de temperatura típica da época do ano. Essa redução, como observado no Gráfico 3, já era esperada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).
Quanto a influência da retomada de medidas restritivas de circulação em função do agravamento da pandemia do Covid-19 em algumas cidades, o cenário ainda se caracteriza como de grande incerteza quanto ao seu reflexo no consumo do país. Como as medidas de isolamento ocorrem de forma não coordenada no país e, a princípio, a indústria não está sendo diretamente afetada, o efeito no consumo tende a ser inferior ao observado em 2020. No entanto com o agravamento da pandemia, ainda não se pode descartar novas oscilações relevantes de consumo nas próximas semanas.
Vale ressaltar que a próxima revisão quadrimestral da projeção de carga, válida para o PMO de Maio/2021, deverá ser divulgada até 31 de março de 2021.

3

Evolução do consumo de energia elétrica do SIN previsto para 2021.

Gráfico 3 - *Expectativa do Operador Nacional do Sistema.

4

Projeção de carga para o ciclo 2021-2025.

Gráfico 4

Meteorologia

Para as próximas semanas, os modelos não apontam volumes de chuvas consideráveis sobre o Sudeste do país, muito em função da instalação de um Bloqueio Atmosférico no Pacífico Sul. Esse bloqueio, deve propiciar alguns eventos de precipitação sobre o Sul, mas que não garantem a recuperação dos reservatórios. Para os próximos dois meses, há a expectativa de aumento de chuvas neste submercado, uma vez que com a chegada do outono, as frentes frias voltam a ficar mais intensas nesta região. Não há expectativa de grandes volumes de chuvas no Sudeste para os próximos meses.
Seguindo essa tendência, não são esperados volumes consideráveis de chuvas no Nordeste para as próximas semanas, sobretudo na bacia do São Francisco. Esse padrão deve se manter com a chegada do período seco.
Finalmente, para o Norte, espera-se a intensificação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), contribuindo para bons volumes de chuvas nas próximas semanas. No entanto, mesmo com o predomínio de uma La Ninã, o período de chuvas não deve se prolongar para os meses de abril e maio. As projeções apontam para uma diminuição das chuvas de forma gradativa com a chegada do período seco.

5

Preços

Para o mês de fevereiro, os preços médios para os submercado Sudeste, Sul, Nordeste e Norte, foram, respectivamente, 165,98 R$/MWh, 164,40 R$/MWh, 162,68 R$/MWh e 162,50 R$/MWh.
Já para o mês de março de 2021, como observado no Gráfico 5 espera-se que os preços alcancem um patamar inferior ao observado no último mês, com valores próximos a R$ 110/MWh para o Sudeste e Sul, R$ 80/MWh para o Nordeste e R$ R$ 50/MWh no norte.

6

Evolução PLD semanal e previsão de fechamento para março/2021

Gráfico 5 – Fonte: Elaboração Exata Energia

7

Histórico PLD 2018, PLD 2019 e PLD 2020

Gráfico 6 – Fonte: Elaboração Exata Energia

Notícias

Preços médios mensais seguem tendência de queda

Na última semana, a média dos preços do mês de fevereiro apresentou uma tendência de queda quando comparado aos preços de janeiro. O preço médio do submercado Sudeste se estabilizou em 165,98 R$/MWh, Sul 164,40 R$/MWh, Nordeste 162,68 R$/MWh e Norte 162,50 R$/MWh. Vale lembrar que em janeiro, os preços finais alcançaram patamares superiores a R$ 200,00/MWh, refletindo o período de poucas chuvas nas principais bacias do setor.

De acordo com a CCEE, consumo e geração no país apresentaram ligeiro aumento

Na primeira quinzena de fevereiro, o nível de geração e consumo se mantiveram praticamente estáveis, exibindo um pequeno aumento de 0,1% em comparação ao mesmo período de 2020. O ambiente de contratação livre registrou um crescimento de 6,3%, enquanto o regulado sofreu uma queda de 2,7%.

Acordo entre Belo Monte e Ibama é firmado

Norte Energia, empresa responsável pela usina de Belo Monte, firmou acordo junto ao Ibama para que seja permitida a extensão do período de aplicação do Hidrograma de Consenso da hidrelétrica de Belo Monte, garantindo a capacidade energética da usina.

CMSE diminui despacho fora da ordem de mérito

Em reunião firmada na última segunda-feira, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) reduziu o limite de despacho para usinas térmicas fora da ordem de mérito. Vale lembrar que o CMSE tem acionado essas usinas em busca de uma redução da degradação dos reservatórios no país, contribuindo para o aumento dos encargos pagos pelos consumidores.

Perspectivas de médio prazo

Reservatórios

Com a aproximação do fim do período úmido e a atual conjuntura hidrológica nas principais bacias do sistema, espera-se que para o horizonte de médio e longo prazo, o nível dos reservatórios continue em patamar inferior ao de 2020. Este cenário pode propiciar um alto nível de volatilidade nos preços ao longo do segundo semestre de 2021.

2021

Após um período de La Niña fraca e tendência de neutralidade para o segundo trimestre, modelos de previsão chegaram a apresentar probabilidade de retorno da La Niña no segundo semestre, o que não se manteve nas rodadas recentes. O padrão do pacífico deve ser monitorado pois poderá determinar um padrão climático para sul no segundo semestre.

Geração Fora da Ordem de Mérito

A decisão do CMSE para despachar usinas termelétricas fora da ordem de mérito (com custo maior que o PLD) continua levando a elevação de Encargos para todos os consumidores (Livres e Cativos). Tal despacho térmico reflete a preocupação dos agentes reguladores sobre a situação atual do sistema e no horizonte de médio prazo. A Geração Fora da Ordem de Mérito deve se manter no decorrer dos próximos meses.