Notícias

PREÇO HORÁRIO

PREÇO HORÁRIO PARA O PRÓXIMO ANO É DEFINIDO PELA CCEE

Preço horário para o próximo ano é definido pela CCEE

Há, atualmente, mais de R$ 8,5 bilhões travados no Mercado de Curto Prazo por razão do GSF (Generation Scaling Factor). Por isso, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) está à procura de uma resolução para a questão por via judiciária ou legislativa.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a CCEE estão com os planos de regulamentação adiantados para o momento em que a solução surgir, segundo Rui Altieri, presidente do Conselho da CCEE. Uma das saídas para esse problema está no possível Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) baixo, que diminui as chances de aumento do GSF.

A data de início do preço horário foi definida para janeiro de 2021 na reunião da Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico (CPAMP). De acordo com Rui, o modelo PrevCarga deve ser efetivado no momento previsto, apenas se a modalidade estiver bem ajustada. As operações preço-semanal e semi-horária estão nos últimos lugares pela geração de encargos.

Rui afirmou a construção de um projeto de P&D, mas não considera o preço por oferta uma possibilidade a curto prazo, pois as atenções estão direcionadas para o preço horário nesse momento.

Para lidar com o difícil desligamento de agentes pela CCEE, a discussão em consulta pública sobre os critérios de participação seria extremamente relevante, de acordo com Rui. Os critérios em relação às garantias para o MVE  serão próximos aos dos leilões atuais. Uma nota técnica será encaminhada para Aneel.

Além disso, em parceria com o Balcão Brasileiro de Comercialização de Energia (BBCE), está sendo pensado o registro voluntário de portfólio de duplo flag, cuja entrega de energia está desatrelada ao registro prévio.

Sobre a possibilidade de a CCEE ir para a certificação, Rui diz que há uma pequena possibilidade de estabelecer um ranking de comercializadores, mas tudo está em início de discussão.

Voltar às Notícias